quarta-feira, 12 de julho de 2017

Sim, ainda estou por aqui...

E não, o meu projeto ainda não se concretizou.
Se desisti? Não! Até ficava bonito escrever "não sou mulher de disistir", mas não vou dizer isso porque estaria a mentir. A verdade é que eu desisto de tudo. Posso ficar entusiasmada com alguma coisa mas quando vejo que dá muito trabalho ou perante o mínimo obstáculo eu desisto, rendo-me! Mas... Neste caso é diferente. Não se trata de um capricho, trata-se do MEU PROJETO de vida! E por isso, apesar de todos os obstáculos e dificuldades, não desisti nem vou desistir!

Passou quase 1 ano desde a última publicação. Foram várias as vezes que tentei vir aqui escrever mas as palavras não me saíam. Hoje, dia 11 de Julho de 2017, faz precisamente 1 ano que fiz a punção, da qual resultaram 10 ovócitos, 9 madurinhos. Dia 16 de Julho fiz a transferência de 2 blastocistos que me inundaram de esperança! Mas 7 dias após a transferência micro sangramentos mudaram o cenário que tinha idealizado. Repouso, muita água e aumentar a dose de progesterona foram as recomendações médicas. Melhorou. Os micro sangramentos ficaram quase imperceptíveis mas continuavam lá. Estava completamente obcecada, só me faltava analisar as coecas e o papel higiénico de lupa! 17 dias após a punção lá fui fazer o bhcg praticamente sem sangramentos e com alguma esperança. Nunca tinha chegado tão longe! O Hellboy batia à porta sempre 13 dias depois da punção e pela primeira vez pude fazer a análise num ambiente sequinho. Infelizmente umas horas depois recebi um resultado de 8. 8!!! Que número tão estúpido, não acham? Nos valores de referência dizia que era positivo acima de 5, e ao lado vinha o intervalo de valores para cada semana de gestação. Enfim... Não precisei que ninguém me dissesse mais nada. Eu sabia muito bem que aquele 8 não era positivo, pelo menos para mim. Nesse mesmo dia deixei a medicação e alguns dias depois lá veio o sangramento abundante e arrojado que se prolongou um pouco mais que o normal. Ora, um Hellboy mais forte, portanto.
Fiquei completamente destruída! Sem entender o que poderia ter corrido mal. Por outro lado, desta vez tinha chegado mais longe, o que de certa forma me deu alguma esperança.

Entretanto, tenho-me "entretido" a ganhar força e euros para continuar na luta. De vez em quando descarrego a minha frustração a responder mal a alguns saloios inconvenientes, outras vezes lanço só o meu ar carrancudo. Sim, provavelmente ganhei uma certa fama de antipática, arrogante, imperialista. Mas sabem que mais? Quero lá saber! Que se pode fazer quando vejo uma cara de sebo a perguntar-me "olha lá, tu estás à espera de quê para dar um neto à tua mãe? Não vês que ela anda em baixo? Aiii... Esta juventude de hoje em dia só quer saber de borgas e ramboiadas." É que nem me atrevo a dizer-vos o que me apetece fazer a esta gente! E já pouco me me importa que não digam por mal. Quero lá saber se é por mal ou por ignorância! Para mim, é por estupidez, burrice, não ter mais nada que fazer, bisbilhotice, enfim... Tudo ao mesmo tempo. Portanto, já que passo por egoísta e miúda fútil que não quer filhos para não ter responsabilidades, não me importo nada de passar por imperialista e antipática. É a minha forma de me defender deste massacre social.


quarta-feira, 20 de julho de 2016

3ª FIV: Pós-Transferência

Hoje é o dia 4 após a transferência e já tenho o coração apertado.
Tendo em conta que transferi embriões com 5 dias, hoje seria o 9° DPO num ciclo normal. E como sempre, a partir do 8° DPO aparecem as pontadinhas no fundo da barriga, ora de um lado, ora do outro. Sempre iguais, sempre na mesma altura. SEMPRE! Seja em ciclo normal, seja em ciclo de FIV.
Porquê? Porque é que têm de aparecer sempre? O que as provoca? Não sei... só sei que são assustadoras e por isso odeio-as.

Sintomas pós-transferência:
D1 - peito dorido e muita retenção urinária.
D2 - peito dorido e alguma retenção urinária.
D3 - peito dorido, pressão nos ovários e pontadas no fundo da barriga.
D4 - peito dorido e pontadas no fundo da barriga.

Tenho tentado manter-me positiva e pensar que desta vez é diferente.
Consegui transferir embriões de 5 dias em estado de blastocisto, um deles expandido. Sei que a taxa de implantação de blastocistos expandidos é alta. O prognóstico é bom. Não é? Mas as pontadinhas estão a atormentar-me! Tenho sido assombrada por pensamentos maus, por recordações más.
Começo a sentir uma angústia que me provoca um nó na garganta.

                          O dia-a-dia do embrião após transferência ao 5° dia
                                    https://vidinhamia.wordpress.com/tag/icsi2/

O dia 5 corresponde ao dia da transferência.
Portanto, se tudo estiver a correr bem, por esta altura, a implantação já está completa. Isso significa que, das duas uma: ou estou grávida ou está tudo perdido.
Quero muito acreditar na primeira hipótese!
Quero muito chegar a dia 28 e saber que altos níveis de hormona coriónica humana circulam no meu sangue! E por falar em sangue, não quero ver vestígios de tal coisa fora do meu corpo nas próximas 37 semanas da minha vida!
Quero que estas pontadas que me atormentam há 3 anos desapareçam e que o meu coração acalme! E já agora, o meu cérebro também!

Hellboy, não te atrevas a aparecer! Deixa-me em paz!

domingo, 17 de julho de 2016

3ª FIV: Transferência

E finalmente ontem de manhã fui buscar os meus filhotes!
Ficamos a saber que tinhamos 2 blastocistos, um expandido e outro inicial. Infelizmente, os outros manos não resistiram.
O Dr. J. quis ver como estavam os ovários antes de fazer a transferência, uma vez que havia aquele risco de desenvolver Síndrome de Hiperestimulação Ovárica. Felizmente, os ovários pareciam bem calminhos e estavam com tamanho normal.
"Pelo que vejo, não me parece que vá hiperestimular", disse o Dr. J. "Mas... estes ovários são uns traiçoeiros! Com estes dois nunca se sabe...", acrescentou.
Explicou-nos que mesmo lhe parecendo que o risco de SHO é baixo, normalmente nestas situações não arriscam transferir mais que um embrião. Contudo, como já contamos com duas falhas de implantação, se nós quisessemos, transferiria os dois. Mas alertou que, caso desenvolva SHO, a coisa seria mázinha. Se já o é em situações "normais", em mulheres com endometriose a coisa piora bastante! "E eu não queria nada que a Mia ficasse internada no hospital com um quadro destes." 😓
Ao ouvir isto, imaginei logo as dores insuportáveis que seriam. Mas respondi que estava disposta a correr esse risco para aumentar as nossas hipóteses.

O Dr. J. deu o OK para o biólogo trazer os nossos pequeninos. Enquanto preparava a transferência, o Dr. J. disse que queria que engravidasse e ia transferir os dois para aumentar as hipóteses mas esperava que não engravidasse de gémeos.
Pois... confesso que essa hipótese também me assusta um bocadinho. Até gostava de ter gémeos, acho bonito. Mas uma gravidez gemelar, por si só, já é mais arriscada. Em casos em que há risco de SHO pior ainda! Então com endometriose, a coisa pode parecer bem assustadora! Por isso, sim, tenho esse receio. Mas prefiro correr o risco de engravidar de gémeos do que não engravidar. Além disso, a probabilidade disso acontecer é baixa.

A transferência foi feita sem dificuldade. Vimos aquele pontinho luminoso a brilhar com os nossos pequeninos juntinhos. 😍
Apesar de um deles estar mais atrasadinho, estavamos felizes e com esperança! Nunca tinhamos chegado tão longe! Pela primeira vez conseguimos transferir dois embriões! E pela primeira vez conseguimos transferir blastocistos! Os nossos fortalhaços resistiram até ao 5° dia e já têm centenas de células e uma cavidade formada no interior, um deles já expandido.


Agora estou naqueles dias de repouso, a imaginar os meus pequeninos a crescer aqui no quentinho ❤
Por favor, não fujam! Fiquem na barriga da mamã!


quarta-feira, 13 de julho de 2016

3ª FIV: Fecundação

Tal como combinado, ontem, terça-feira dia 12, ligaram do laboratório para dar novidades sobre a fecundação. Desta vez, o marido não estava comigo e por isso não lhe pude "passar a pasta" e fugir como fiz da última vez.
Eram 10h31 quando o telemóvel tocou. Até dei um salto e deixei cair o telemóvel. Coração aos pulos e mãos a tremer! Atendi.
"Aim?" Foi o que me saiu! Limpei a garganta e repeti "Sim?"
Do outro lado, uma voz muito bem disposta informou que dos 10 ovócitos, 9 estavam maduros, desses 9, 7 fecundaram bem.
Não cabia em mim de contente! 9 maduros!!! 7 fecundaram! Nunca pensei! Fiquei parva!

Resumindo:
☆ 10 ovócitos obtidos na punção
☆ 9 maduros
☆ 7 fecundados


Respirei de alívio! Naquele dia pude ficar descansada.

Hoje, é o dia 2 dos embriões. Há medida que o tempo passava a ansiedade ia aumentando. Comecei a olhar para o relógio e reparei que já passava das 10h31. "Porque é que ainda não ligaram? Se estão a demorar é porque há más notícias.", pensei.
Eram 11h03 quando o telemóvel tocou. Nervos! Coração aos pulos e mãos a tremer novamente!
Os 7 embriões continuam lá... mas alguns estão mais fraquinhos. Temos 4 de qualidade B e 3 de qualidade C. Disse-me que num deles estavam com dúvidas se seria um B ou um C mas não me lembro se fazia parte do grupo dos 4 B's ou dos 3 C's. Recomendou repouso para os ovários recuperarem bem e que em princípio a transferência seria sexta-feira ou sábado.

Não fiquei contente. Continuo com 7 embriões, eu sei. Foi de longe o melhor resultado que consegui até hoje. Mas... no meio de 7 embriões tinha esperança que houvesse pelo menos um A. Pelo menos 1! Nunca consegui nenhum A. Quase toda a gente na minha idade consegue embriões de qualidade A. Preferia ter menos embriões mas ter A's.
Da última vez transferi um B e não deu em nada 😔
O marido tentou tranquilizar-me e disse que o Cristiano Ronaldo é um A e não ganhou o europeu sozinho. Foi o Éder, que é um D, que marcou golo e nos levou à vitória.
Hmmm...

Resta-nos aguardar...

3ª FIV: Punção

Antes de mais, SOMOS CAMPEÕES DA EUROPA!!!!!
Obrigada Seleção! Obrigada por esta forte emoção!
OBRIGADA! 😃😃😃
Foi Lindo! 💚💛❤



Bem, agora a punção.
Segunda-feira, dia 11 chegamos à clínica por volta das 8h10.
Como já é habitual, mandaram-me entrar para uma sala e preparar-me. Estava nervosa, angustiada, com medo! O simpático enfermeiro que me acompanhou perguntou no seu sotaque brasileiro "Tá nervosa? Ah não pode, não. Portugal ganhou!" Hehe 😄
Já com a bata sexy vestida fui para a sala da punção. O anestesista e o enfermeiro brasileiro faziam-me perguntas, riam e diziam piadas para me descontrair. Entrou o Dr. JB para fazer a punção super sorridente e cumprimentou-me com um forte aperto de mão. Administraram a anestesia e comecei a sentir o meu corpo dormente (já vos disse que adoro a sensação de ser anestesiada/sedada?) até que me apaguei.
Acordei ainda na sala da punção enquanto me mudavam para outra marquesa e juro que senti que estava a fazer xixi!
"Já está. Correu tudo bem!", disse uma voz simpática.
"Eu fiz xixi?", perguntei.
"Não. Está tudo bem, não se preocupe.", responderam.
"Mas eu fiz xixi!", insisti. Voltaram a responder que não e que estava tudo bem.
Não me perguntem porquê mas eu pensei mesmo que tinha urinado na punção! Mas realmente quando despertei melhor percebi que estava tudo sequinho. Não sei o que é que me deu! Eles devem ter pensado "a rapariga está mesmo pedrada!" Gente... que vergonha! 😳

Já na salinha "normal", o marido estava ansioso por saber quantos ovócitos tivemos. Eu até tinha medo de saber. Entrou o biólogo e informou que tivemos 10 ovócitos! 10??? Sim 10! Uau! Depois de um ciclo quase cancelado, com tanta assimetria no tamanho dos folículos e depois de cancelar o duplo trigger com decapeptyl e ovitrelle por risco de hiperestimulação, consegui 10 ovócitos! Eu nem queria acreditar! Com aquilo é que eu não contava. Foi o ciclo que correu pior a nível de estimulação e no final acontece isto. Bem diz o marido que os meus ovários são como a Seleção Nacional. Sofrer até à última! Avançam devagar, com risco de ficar pelo caminho mas com muitas dificuldades conseguem chegar à final. Sabemos que a fase final pode ser difícil e ficamos muito nervosos. Para piorar, o Cristiano Ronaldo lesiona-se no início do jogo e sai de campo, tal como o valor do estradiol que disparou e tivemos que dispensar o ovitrelle, ou seja, mudança de planos à última hora. Se até então tinha sido tão difícil, com este acontecimento inesperado tudo parecia estar perdido. Mas tal como o Éder, que ninguém dava nada por ele, entrou e marcou golo, o decapeptyl entrou em ação e fez o que lhe competia de uma maneira exemplar!
O Dr. J. disse com um ar aliviado "Fogo Mia! Desta vez foi melhor! Mas atenção que ainda falta saber quantos estão maduros." Pois... faltava essa parte. Decidi não me entusiasmar muito com o número até saber quantos maduros tinhamos.

Posto isto, o biólogo pediu ao marido para fazer a colheita e perguntou se não se importava de fazer ali mesmo, uma vez que a sala para o efeito estava ocupada por causa dos senhores que iam fazer espermograma. O marido respondeu que não, até preferia, pois sente-se mais à vontade ali. Então o biólogo informou que iria colocar um cartão vermelho de tamanho A4 no lado exterior da porta para ninguém incomodar. Quando o marido terminasse, deveria virar o cartão do lado verde, indicando que tinha terminado e que já poderiam entrar para recolher o material.
Acho interessante, ali na clínica deixam estar os bichinhos nos tintins do marido até à última. Só depois de constatar que há ovócitos viáveis é que pedem para fazer a recolha. No CHAA não era nada assim. Pediram logo ao marido para fazer a serviço e só 1 hora depois é que fiz a punção.
Adiante. Com o cartão vermelho na porta ninguém entraria e estavamos à vontade. O marido perguntou "hmmm... não queres dar uma ajudinha?"
"Como?", perguntei. "Eu estou pedrada e não posso sair da marquesa."
"Mostra aí a Miazinha" 😁
Colheita pronta, com o frasquinho no wc à espera que o biólogo o fosse buscar.
O marido sentou-se relaxado no sofá e ficámos a conversar. Pelos corredores ouvia-se conversas animadas sobre o jogo que nos deu a taça. Médicos, biólogos e enfermeiros comentavam sobre jogadas e jogadores.
Entretanto, o Dr. J. abriu a porta para informar que o enfermeiro iria dar-me uma pica com um bocadinho de pregnyl para ajudar na fase lútea, uma vez que o decapeptyl prejudica essa fase.
Assim que ele saiu, perguntei ao marido "tu viraste o cartão para o lado verde??"
"Não", respondeu com ar sério. "Esqueci-me!" E ficamos os dois sérios a olhar um para o outro com os olhos arregalados. "Mas... o Dr. J...", comecei. O marido levantou-se e foi logo virar o cartão. Assim que abriu a porta, viu a D. M. do lado de fora e explicou que já tinha feito a colheita mas que se tinha esquecido de virar o cartão.
"Aiiii meu Deus!!! E o Dr. J. entrou aqui com o cartão vermelho na porta!!!", disse a D. M. aflita. "Sempre a mesma coisa! Distraídos!!! Estes médicos põem-me os cabelos em pé!!! Eu quando os vejo pelos corredores, olhe, até me arrepio!!! 😂 O marido tranquilizou-a, explicando novamente que por acaso já tinha terminado o serviço mas ela continuou "Mas podia não ter terminado!!! Já viu??? Aiiiii meu Deus!" Risota total! 😂
Gente, estão a imaginar se o Dr. J. entrava na hora a H? É melhor nem imaginar! 😐

O biólogo lá levou a amostra e pouco tempo depois informou que estava de acordo com os anteriores, ou seja, os bichos estavam bons como sempre. Ainda assim, iriamos fazer ICSI, devido ao historial: embriões triploides (com 3 pró-núcleos por fecundação por 2 espermatozóides no mesmo óvulo) e muito baixa taxa de fecundação normal.
O Dr. C. foi falar connosco e deu-nos as indicações finais. Percebeu alguma preocupação nossa devido aos resultados anteriores e disse para estarmos descansados porque nem sempre corre mal. "Por exemplo, ontem correu bem!"
Verdade! Apesar de tudo, Portugal ganhou!

Deram-nos alta e informaram que no dia seguinte dariam novidades sobre a quantidade de ovócitos maduros e a quantidade de ovócitos fecundados.

Ía começar o tormento dos telefonemas 😓

Atualização do protocolo:
29/06 Pergoveris 150 UI/75 UI
30/06 Pergoveris 150 UI/75 UI
01/07 Pergoveris 150 UI/75 UI
02/07 Pergoveris 150 UI/75 UI + Ovaleap 100 UI (Eco)
03/07 Pergoveris 150 UI/75 UI + Ovaleap 100 UI + Orgalutran 0.25mg
04/07 Pergoveris 150 UI/75 UI + Ovaleap 100 UI + Orgalutran 0.25mg
05/07 Pergoveris 300 UI/150 UI + Orgalutran 0.25mg (Eco)
06/07 Pergoveris 300 UI/150 UI + Orgalutran 0.25mg
07/07 Pergoveris 300 UI/150 UI + Orgalutran 0.25mg
08/08 Pergoveris 300 UI/150 UI + Orgalutran 0.25mg (Eco)
09/07 Decapeptyl 0.1 (x2)
10/07 "Folga"
11/07 Punção. Pregnyl (?) UI. Progeffik de 8 em 8 horas + Estrofem de 12 em 12 horas.

sábado, 9 de julho de 2016

3ª FIV: terceira monitorização

Nem sei por onde começar...
Hoje fiz a terceira ecografia de monitorização dos folículos e os sacanas continuam a crescer ao seu ritmo lento e com muita assimetria. Além disso, continuam a surgir novos e pequenos folículos que não servem para nada a não ser para atrapalhar. "Aqui nascem folículos como cogumelos!", disse o Dr. J. Contaram-se 17 folículos, o menor com 7mm ou 8mm (acho eu), e o maior com 21mm. Ainda haviam mais mas como eram muito pequenos, o Dr. nem achou relevante apontar. Com esta assimetria toda, apenas uma meia dúzia estão de bom tamanho. E nem com essa meia dúzia, sabemos se podemos contar, pois a julgar pelas punções das FIVs anteriores, parte dos folículos supostamente maduros não libertam os ovócitos na punção.
"Afff... mas porque é que tem que ser tudo tão complicado comigo?", suspirei em desabafo. E o marido respondeu de imediato "Então, se fosse fácil fazia eu. Não precisavamos do médico." Com esta resposta o Dr. J. soltou uma gargalhada "Hahahahaha! É verdade! Mas até o médico dispensava esta dificuldade. Era melhor que fosse mais simples mas como não é, temos que ir tentando protocolos alternativos."
Sendo assim, o Dr. achou melhor fazer mais um dia de estimulação para ver se conseguia ir buscar mais alguma coisita e marcou a punção para segunda-feira, dia 11.
Numa tentativa de recrutar todos os ovócitos maduros, disse que iriamos fazer um duplo trigger desta vez. Duplo trigger? Uau, que nome fixe! Mas o que é isto? É nada mais, nada menos do que usar dois medicamentos diferentes para desencadear a ovulação. Normalmente usa-se para trigger final o Pregnyl, o Ovitrelle ou o Decapeptyl. Neste caso, usariamos o Ovitrelle 37 horas antes da punção e o Decapeptyl 0.1 x2 36 horas antes da punção. Ou seja, às 19h30 de Sábado teria que administrar o Ovitrelle e ás 20h30 administrar o Decapeptyl 0.1 (2 ampolas de pó para 1 de líquido). Hoje, teria que fazer mais 2 ampolas de Pergoveris e o Orgalutran.
Como habitual, teria que fazer análises ao estradiol e à progesterona, e se estivesse tudo OK mantinha-se tudo conforme o combinado. Caso, as análises estivessem com valores alterados, o Dr. ligar-me-ia durante a tarde a alterar os planos. "Mas não me parece. Em princípio vai estar tudo bem", disse o Dr.
Ótimo! Um duplo trigger vai fazer com que os ovócitos não se armem em pegajosos. Desta vez deve resultar. Tem que resultar!

Esperem. Não termina por aqui.

Por volta das 17h o Dr. J. ligou.
"Mia, é pá... o seu estradiol está mais elevado do que seria suposto. Está em risco de hiperestimulação. Ai esses ovários..."
O quê? Mas como assim? Como é que com tão poucos folículos maduros tenho o estradiol tão elevado??
Ouvi atentamente as alterações do plano e tentei parecer calma. Desliguei a chamada e fiquei uns minutos meio apática. Depois disse meia dúzia de palavras feias (que não vou citar aqui porque são mesmo feias) e dei um murro na mesa! Que ódio! Que nervos! Porque é que este corpo é assim? Porque é que comigo nada funciona? Porque é que comigo corre sempre tudo mal? Porquê? PORQUÊ?? PORQUÊ??? AHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH! Odeio-vos hormonas estúpidas! Odeio-te endometriose! 😠


Posto isto, já não vou poder fazer o duplo trigger. Terei que eliminar o ovitrelle pelo risco de SHO - Síndrome de Hiperestimulação Ovárica. Farei apenas o Decapeptyl 36 horas antes da punção. Isto praticamente elimina o risco de SHO mas prejudica muito a fase lútea, ou seja, diminui muito as hipóteses de implantação do embrião (caso haja). No dia da punção veremos como estão os ovários e aí decidimos se podemos fazer uma dose de pregnyl ou ovitrelle para manutenção da fase lútea, de modo a não prejudicar uma possível implantação. Estava com esperança de não ficar com os ovócitos retidos com o duplo trigger e afinal... foi tudo por água abaixo.
Só me apetece gritar asneiras e palavras feias! 😠

Atualização do protocolo:
29/06 Pergoveris 150 UI/75 UI
30/06 Pergoveris 150 UI/75 UI
01/07 Pergoveris 150 UI/75 UI
02/07 Pergoveris 150 UI/75 UI + Ovaleap 100 UI (Eco)
03/07 Pergoveris 150 UI/75 UI + Ovaleap 100 UI + Orgalutran 0.25mg
04/07 Pergoveris 150 UI/75 UI + Ovaleap 100 UI + Orgalutran 0.25mg
05/07 Pergoveris 300 UI/150 UI + Orgalutran 0.25mg (Eco)
06/07 Pergoveris 300 UI/150 UI + Orgalutran 0.25mg
07/07 Pergoveris 300 UI/150 UI + Orgalutran 0.25mg
08/07 Pergoveris 300 UI/150 UI + Orgalutran 0.25mg (Eco)
09/07 Decapeptyl 0.1 (x2)
10/07 "Folga"
11/07 Punção.


terça-feira, 5 de julho de 2016

Cristiano Ronaldo?

Alguém tem o contacto do capitão da seleção portuguesa? Precisava de falar com ele.
Precisava que ele me dissesse alguma coisa fixe e motivadora, tipo: "Anda lá, anda lá. Não desistas! Tu hás de conseguir! Se não for desta que se f***."

Não? Ninguém?



Cristiano, se vires isto, diz aí qualquer coisa fixe. E já agora, força para amanhã 😉